Patrícia balbi

Atuou por mais de 20 anos como Gestora Comercial com foco em desenvolvimento de equipes em grandes empresas tais como: Unimed-BH, Solutions – Gestão de Seguros, Laboratório São Marcos, Mercer Marsh, Hospital Mater Dei;

Foi empresária de Operadora de Planos Odontológicos nos estados de São Paulo e Minas Gerais.

Sólida experiência em gestão de equipes de vendas e relacionamento (pós-vendas) com clientes corporativos de grande porte, com foco no desenvolvimento de executivos e formação de lideres.

Atua como Trainer, Coach de Alta Performance (individual e grupo) e palestrante, contribuindo para o desenvolvimento dos executivos e das equipes corporativas.

Professional e Self Coaching – Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), Especialista em Gestão de Negócios – Fundação Dom Cabral, Graduada em Comunicação Social e Relações Públicas – PUC – MG.

MINHAS EXPERIÊNCIAS

Valores e Missão

Palavra, Conhecimento, Desenvolvimento, Foco, Atitude, Disciplina, Força, Êxito

Tocar e transformar a vida das pessoas, para que tenham melhores resultados profissionais e pessoais. Através do autoconhecimento, desenvolvimento de suas habilidades e planejamento de suas ações

DESENVOLVEMOS INTELIGÊNCIAS

O Instituto Patrícia Balbi acredita no aprendizado com base no desenvolvimento de 3 inteligências:

Com o desenvolvimento da INTELIGÊNCIA PRAGMÁTICA o profissional aprende a “realizar coisas” sem terceirizar a responsabilidade pelo seu sucesso ou insucesso.
Fazer o que tem que ser feito. Fazer a parte que lhe cabe. Gerir seu tempo. Aplicar as melhores técnicas. Atingir suas metas. Esse é o papel da Inteligência Pragmática.
Formar profissionais “imparáveis”, ou seja, que não se abatem com as adversidades. Por que sabemos que elas sempre existirão.
O segredo não está em extingui-las, mas sim em saber como contorna-las.
No entanto, acreditamos que esses profissionais além de “imparáveis” estejam emocionalmente equilibrados

É onde entra a segunda inteligência da filosofia do Instituto Patrícia Balbi: a INTELIGÊNCIA EMOCIONAL.

O que estamos assistindo no mundo corporativo é um verdadeiro “massacre da qualidade de vida dos profissionais”. Não por responsabilidade das empresas, mas das próprias pessoas que nelas estão. Ou seja, todos nós!
As pessoas estão “morrendo” pelo caminho.

O que defendemos é que existe uma outra forma de fazer a coisa acontecer, sem precisar “morrer” ou “matar” ninguém pelos anos afora.
Como? Com autocontrole e do autodomínio. Ou seja, desenvolvendo o equilíbrio das emoções. Sua Inteligência Emocional.

Acreditamos ainda que além de fazer a “coisa acontecer”, além do autodomínio e autocontrole, o profissional somente terá um comportamento diferente do que vinha apresentando, se e somente se, ele alterar seu MINDSET.

Mindset é o conjunto de atitudes mentais que influencia diretamente nossos comportamentos e pensamentos. E portanto, decisivo para alcançarmos sucesso ou não.

Acreditamos que essa terceira inteligência, o desenvolvimento do MINDSET é o que definirá a continuidade do aprendizado em todos nossos Treinamentos e Processos.

A soma das três inteligências:
PRAGMÁTICA + EMOCIONAL + MINDSET é o que define a filosofia de trabalho do INSTITUTO PATRÍCIA BALBI.

Esse é o nosso diferencial: Formar pessoas e profissionais que tragam resultados para si e para suas organizações, com qualidade de vida (incluindo a emocional) a curto e longo prazo!

Sabedoria chinesa

A sabedoria chinesa nos traz uma leitura muito interessante em relação à natureza.

Análises muito simples podem ser maravilhosamente ricas, se abrirmos mão de nossa arrogância intelectual e desfrutarmos as delícias das coisas “pequenas”. Não me canso de refletir por exemplo, como os chineses nos ensinam o paralelo do bambu e o nosso comportamento. Várias seriam as sábias características dessa planta, mas reflitamos sobre quatro!

1) PACIÊNCIA:
O bambu: Depois de plantada a semente do bambu, demora-se em média cinco anos para que possamos enxergar algo. Todo o crescimento é subterrâneo. Uma grande estrutura de raiz é composta de forma maciça e fibrosa, que se estende vertical e horizontalmente pela terra. Somente depois que as raízes já atingiram dezenas de metros é que o broto começa a se projetar para fora da superfície. Aí, o bambu cresce rapidamente, atingindo altura de 25 metros.

Eu: Quase nunca espero “o tempo das coisas”. Muitas vezes, quero que as coisas aconteçam rapidamente e me torno impaciente se os resultados não chegam no tempo que eu determino como correto. Esquecendo porém, que se a estrutura do que eu estiver construindo não estiver maciça (como a do bambu), provavelmente estarei mais suscetível às adversidades que possam surgir no caminho.

2) LIMITE:
O bambu: Existem divisões no talo do bambu, pois caso contrário, as fibras seriam compridas demais (iriam sem interrupções da raiz ao topo). O que as fariam esticar muito e o caule, por sua vez, poderia se dobrar com qualquer vento. Esses limites dos nós têm a função de dividir e de limitar o comprimento das fibras do caule, ou seja, são eles que dão a resistência necessária ao bambu.

Eu: Nem sempre tenho limites, nem sempre aceito os limites impostos a mim, como por exemplo quando inicia-se o limite do outro. Esqueço que as limitações são necessárias para a ordem das coisas e me rebelo, na maioria das vezes.

3) FLEXIBILIDADE

O bambu: Curva-se à força do vento e volta ao seu lugar original depois da adversidade. Isso é possível, em função da flexibilidade do bambu.

Eu: Costumo ter dificuldade em me adaptar às circunstâncias da vida, por que geralmente tenho paradigmas rígidos, crenças arraigadas, costumes antigos. E com isso, perco inúmeras oportunidades de visitar sítios novos, que a vida me apresenta, vez ou outra.
Sou rígido! O que de acordo com a sabedoria chinesa é sinal de morte.
A expressão Wu-wei refere-se à não-resistência. Wu-wei significa deixar-se levar pelo movimento natural. O que geralmente luto contra (e bravamente!).

4) LEVEZA:

O bambu: Tem o seu caule oco (vazio), pois se o contrário fosse, seria pesado e rígido. E portanto, inflexível.

Eu: Não tenho espaço. Estou cheia… de preconceitos, de pensamentos, de mágoas, de ansiedade, de preocupações, de tristeza e tantos outros. Em especial minha mente, fervilha na multidão dos meus pensamentos.

“O vaso é feito de argila, mas é o vazio que o torna útil. Abrem-se portas e janelas nas paredes de uma casa, mas é o vazio que a torna habitável” (Provérbio Chinês).

Muito a se aprender com povos simples, desse planeta Terra!